Ontem eu expus aqui no Hábito de Quadrinhos uma lista com dez quadrinhos nacionais que me marcaram – fruto de um desafio de Facebook.

Adoro listas. Então, hoje publico a versão internacional da lista de ontem: são quadrinhos internacionais que me influenciaram.

As regras do desafio original eram: “Sem ordem cronológica, sem explicações, sem críticas, apenas uma imagem da capa“. E havia um limite: apenas dez! Como estou escrevendo este texto de livre e espontânea vontade, sem ter sido desafiado por ninguém, posso colocar 20 que está tudo bem ;-).

Como uma lista desse tamanho, aliás, era impossível não ser eclético. Há historietas (argentinas), bandas desenhadas (europeias), comix (americanos), pichas (africanos), mangás e super-heróis… Só não tem HQs brasileiras, porque elas já apareceram na lista de ontem.

O desafio original pede apenas capas, sem explicações…. Mas estamos em um blog e nada nos impede de usar hiperlinks, certo? 😉 O que estão nos títulos da obra vão para livrarias; os nos nomes dos artistas levam a artigos que escrevi sobre eles.

1 – MAFALDA, de Quino

2 – ASTERIX, de René Goscinny e Albert Uderzo

3 – O EDIFÍCIO, de Will Eisner

4 – WATCHMEN, de Alan Moore e Dave Gibbons

5 – MAUS, de Art Spiegelman

6 – SANDMAN, de Neil Gaiman e vários artistas

7 – HOMEM-ANIMAL, de Grant Morrison e Chas Truog

8 – REINO DO AMANHÃ, de Mark Waid e Alex Ross

9 – MAS ELE DIZ QUE ME AMA, de Rosalind B. Penfold

10 – ADOLF, de Osamu Tezuka

11 – DESVENDANDO OS QUADRINHOS, de Scott McCloud

12 – GENTE, de Quino

13 – QUARTETO FANTÁSTICO, de Stan Lee e Jack Kirby

14 – TINTIM, de Hergé

15 – QUARTETO FANTÁSTICO, de John Byrne

16 – V DE VINGANÇA, de Alan Moore e David Lloyd

17 – SUPERMAN E BATMAN: GERAÇÕES, de John Byrne

18 – LITTLE NEMO, de Winsor McCay

19 – MONSTER, de Naoki Urasawa

20 – DOONESBURY, de Garry Trudeau

21 – MADAM AND EVE, de Stephen Francis e Rico Schacherl

Please follow and like us:

Escrito por

Pedro Cirne

Meu nome é Pedro, nasci em 1977 em São Paulo e sou escritor e jornalista - trabalho na Argus Media e escrevo sobre quadrinhos na TV Cultura.
Lancei dois livros: o primeiro foi "Púrpura" (Editora do Sesi-SP, 2016), graphic novel que eu escrevi e que contou com ilustrações 18 artistas dos oito países lusófonos: Angola, Brasil, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Moçambique, Portugal, São Tomé e Príncipe e Timor Leste. Este álbum contemplado pelo Bolsa Criar Lusofonia, concedido a cada dois anos pelo Centro Nacional de Cultura de Portugal.
Meu segundo livro foi o romance "Venha Me Ver Enquanto Estou Viva”, contemplado pelo Proac-SP em 2017 e lançado pela Editora do Sesi-SP em dezembro de 2018.
Como jornalista, trabalhei na "Folha de S.Paulo" de 1996 a 2000 e no UOL de 2000 a 2019.

Quer falar comigo, mas não pelos comentários do post? OK! Meu e-mail é pedrocirne@gmail.com

LinkedIn: https://br.linkedin.com/in/pedro-cirne-563a98169