Estamos no final de semana de estreia de “Falcão e o Soldado Invernal” – e na torcida para ser tão bom quanto “WandaVision”. Então, aproveitei este Sugestões de Sábado para destacar três história importantes dos dois protagonistas: Samuel Thomas Wilson, o Falcão (e que já foi o Capitão América nos quadrinhos) e James Buchanan Barnes, o Soldado Invernal (e que também já foi o Capitão América nos quadrinhos).

Boa leitura!

A Chegada do… Falcão”, de Stan Lee e Gene Colan

Em três partes, esta história publicada em 1969 traz a primeira aparição do sorridente Falcão – que na época, curiosamente, usava um uniforme verde com detalhes amarelo e laranja.

Como no título deste texto eu falei em “HQs clássicas”, eu deveria indicar também a primeira história do Soldado Invernal – na época em que seu codinome era bem menos pomposo: Bucky! Entretanto, indiquei essa história recentemente e não gosto de me repetir… Então, vou trapacear de leve, indicando aqui escondidinho neste parágrafo: “Conheça o Capitão América”, de Joe Simon e Jack Kirby.

Capitão America – O Soldado Invernal”, de Ed Brubaker e Steve Epting

É sabido, entre os leitores de quadrinhos de super-heróis, que nenhuma morte de personagem importante é para sempre. Havia duas exceções: o Robin-Jason Todd, o parceiro do Batman, na DC, e Bucky, o parceiro do Capitão América, na Marvel.

Robin-Jason Todd ressuscitou em 2002, abrindo a porteira. Dois anos depois, foi a vez da Marvel. O escritor Ed Brubaker deu piruetas narrativas para contar uma história interessante que envolvia espionagem, amnésia, controle cerebral, Guerra Fria e, claro, muitos aspectos da mitologia do Capitão América. Bucky cresceu muito como personagem.

Fabulosos Vingadores – Contraevolucionário”, de Rick Remender e Daniel Acuña

Como Bucky, o Falcão foi quase sempre mais um parceiro do que um protagonista. Só depois que virou Capitão América, na década passada, que começou a ter mais destaque na Marvel, especialmente como membro dos Vingadores. Esta é uma das sagas que mostram este seu protagonistmo.

Please follow and like us:

Escrito por

Pedro Cirne

Meu nome é Pedro, nasci em 1977 em São Paulo e sou escritor e jornalista - trabalho na Argus Media e escrevo sobre quadrinhos na TV Cultura.
Lancei dois livros: o primeiro foi "Púrpura" (Editora do Sesi-SP, 2016), graphic novel que eu escrevi e que contou com ilustrações 18 artistas dos oito países lusófonos: Angola, Brasil, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Moçambique, Portugal, São Tomé e Príncipe e Timor Leste. Este álbum contemplado pelo Bolsa Criar Lusofonia, concedido a cada dois anos pelo Centro Nacional de Cultura de Portugal.
Meu segundo livro foi o romance "Venha Me Ver Enquanto Estou Viva”, contemplado pelo Proac-SP em 2017 e lançado pela Editora do Sesi-SP em dezembro de 2018.
Como jornalista, trabalhei na "Folha de S.Paulo" de 1996 a 2000 e no UOL de 2000 a 2019.

Quer falar comigo, mas não pelos comentários do post? OK! Meu e-mail é pedrocirne@gmail.com

LinkedIn: https://br.linkedin.com/in/pedro-cirne-563a98169