O Capitão América completa 80 anos este mês, então separei a semana inteira para falar sobre o personagem aqui no Hábito de Quadrinhos. A Marvel, sua editora, é um multiverso: há o universo principal e literalmente dezenas (centenas?) de outros, em que o mesmo personagem tem versões completamente diferentes.

Hoje, vou apresentar aqui as minhas dez versões favoritas do Capitão – mas, acredite, há muitas mais.

Capitão América (Terra X)

Deu tudo errado no universo da ótima série Terra X. Heróis enlouqueceram, vilões enlouqueceram, o mundo enlouqueceu. Mas há um herói que, bem mais velho e abatido, não para de lutar e de ser o símbolo da esperança: Steve Rogers, o Capitão América!

Capitão América (Zumbis Marvel)

Deu tudo errado em outro universo paralelo: agora, o da saga Zumbis Marvel. Nele, há um herói que, transformado em morto-vivo, não para de lutar, mas deixou de ser o símbolo da esperança: Steve Rogers, o Capitão América!

Capitão América (Marvel Apes)

Deu tudo “simiesco” em outro universo paralelo: agora, o da saga Marvel Apes (não saiu no Brasil, mas seria algo como “Gorilas Marvel”). Neste mundo, Steve Rogers é o poderoso gorilão Capitão América!

Capitã Brasil

Na animação “The Super Hero Squad Show” (2009-11), há um grupo internacional de heróis chamado Esquadrão de Todos os Capitães. Neles, há… a Capitã Brasil, a equivalente verde-e-amarela (literalmente) do rapaz do Norte, inclusive com um uniforme totalmente inspirado na bandeira.

A Capitã Brasil tem um poder chamado “samba sônico”, que achei melhor não entender do que se trata.

Capitão Colônia

Em um universo em que os Estados Unidos não declararam independência, Stephen Rogers é o poderoso Capitão Colônia!

Capitão Gatamérica

Se você viu o ótimo “Homem-Aranha no Aranhaverso”, conhece o impagável Porco-Aranha. Pois bem, em seu fofíssimo universo o cidadão Steven Mouser se transforma no super-herói Capitão Gatamérica (maneira que encontrei para traduzir o trocadilho Captain Americat).

Carol Danvers

A Marvel tem uma linha de revistas conhecida como “Mangaverse”, em que emula o estilo dos quadrinhos japoneses. Nele, Carol Danvers não virou a Capitã Marvel, mas continuou super-heroína: ela é a Capitã América (é dela a ilustração que abre este texto)!

Comandante A

Em outra dimensão, o legado do Capitão América está nas mãos da Tropa de Capitães Américas, onde se destaca Kiyoshi Morales, o Comandante A.

Danielle Cage

Filha dos heróis Luke Cage e Jessica Jones, e batizada em homenagem ao Punho de Ferro (Daniel Rand), Danielle Cage é a Capitã América de um futuro possível.

Sonho Americano

Lembra que eu citei o Comandante A, da Tropa de Capitães Américas? Shannon Carter, prima de Peggy Carter, também integra o grupo – mas com o nome de Sonho Americano.

Please follow and like us:

Escrito por

Pedro Cirne

Meu nome é Pedro, nasci em 1977 em São Paulo e sou escritor e jornalista - trabalho na Argus Media e escrevo sobre quadrinhos na TV Cultura.
Lancei dois livros: o primeiro foi "Púrpura" (Editora do Sesi-SP, 2016), graphic novel que eu escrevi e que contou com ilustrações 18 artistas dos oito países lusófonos: Angola, Brasil, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Moçambique, Portugal, São Tomé e Príncipe e Timor Leste. Este álbum contemplado pelo Bolsa Criar Lusofonia, concedido a cada dois anos pelo Centro Nacional de Cultura de Portugal.
Meu segundo livro foi o romance "Venha Me Ver Enquanto Estou Viva”, contemplado pelo Proac-SP em 2017 e lançado pela Editora do Sesi-SP em dezembro de 2018.
Como jornalista, trabalhei na "Folha de S.Paulo" de 1996 a 2000 e no UOL de 2000 a 2019.

Quer falar comigo, mas não pelos comentários do post? OK! Meu e-mail é pedrocirne@gmail.com

LinkedIn: https://br.linkedin.com/in/pedro-cirne-563a98169