Ontem, acossado pelos zumbis da minha imaginação, indiquei apenas obras com mortos-vivos no Sugestões de Sábado. Tentei fazer o mesmo no Duas Dicas Dominicais de hoje, mas esta é uma seção para lançamentos, e não tem tanta coisa boa com o tema saindo por aqui recentemente.

Então… Expandi um pouco. E hoje apresento duas obras de terror – uma europeia e uma brasileira. Boa leitura!

 Dylan Dog” nº 19, de Tiziano Sclavi e Ugolini Cossu

Fico feliz em ver que Dylan Dog continua saindo no Brasil – quando a publicação começou, muitos anos atrás, eu sofria um pouco para ter acesso às histórias. Este número que indico, o 19, mostra que a coleção da Mythos está indo bem.

Dylan Dog é uma série italiana que mistura terror, fantasia e muito humor. Divertido!

O Esqueleto”, de Roberta Cirne

A escritora e ilustradora Roberta Cirne é uma profunda pesquisadora dos mitos brasileiros de horror – especialmente os de Recife. (Eu a entreviste! Vale conferir aqui.) Seu novo álbum ainda está no Catarse, mas vale ficar de olho. Abaixo, a descrição dela:

“Em 1855, em uma publicação póstuma surgiu “Noites na Taverna”, de Álvares de Azevedo. Cinco jovens se revezavam apresentando cada qual uma narrativa macabra e pronto: Estavam inauguradas as novelas de horror gótico no Brasil.

Da mesma cepa é esta obra que aqui apresento. Considerado o segundo romance brasileiro de horror e o primeiro a ser lançado no Nordeste, O ESQUELETO- CRÔNICA FANTÁSTICA DE OLINDA traz a mesma verve romântica. Escrito por CARNEIRO VILELA e publicado pela primeira vez em 1871 n’ AMERICA ILUSTRADA, Jornal produzido pelo próprio Vilela.

Uma história de terror e decadência,que nos leva de uma tradicional e honrada família de altos valores morais até a depravação das ruas boêmias da cidade de Olinda, no tempo em que ali funcionava a Faculdade de Direito de Pernambuco. Acompanhamos o romance entre Felipe e Lívia, e as provas que o verdadeiro amor passa em frente às tentações do mundo.

Mas como eu o disse, é uma história de terror. E este se revela de mansinho, até tomar toda a alma desavisada do leitor.

Através de uma extensa pesquisa em vestuário, locações , linguagem , usos e costumes, a HQ resgata uma cidade que de certa forma não existe mais, apenas no imaginário romântico de 150 anos atrás.

EM 2021 O LIVRO FAZ 150 ANOS!

Um marco para a história da literatura fantástica brasileira, é este o ano do aniversário de O ESQUELETO . Contando apenas com quatro edições : a primeira em jornal, a segunda em 1894, a terceira em 2000 (com problemas editoriais) e a última de 2015 com apenas 200 exemplares, esta nova versão inédita em quadrinhos se faz necessária para trazer ao público mais esta obra do criador de A EMPAREDADA DA RUA NOVA.”

Please follow and like us:

Escrito por

Pedro Cirne

Meu nome é Pedro, nasci em 1977 em São Paulo e sou escritor e jornalista - trabalho na Argus Media e escrevo sobre quadrinhos na TV Cultura.
Lancei dois livros: o primeiro foi "Púrpura" (Editora do Sesi-SP, 2016), graphic novel que eu escrevi e que contou com ilustrações 18 artistas dos oito países lusófonos: Angola, Brasil, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Moçambique, Portugal, São Tomé e Príncipe e Timor Leste. Este álbum contemplado pelo Bolsa Criar Lusofonia, concedido a cada dois anos pelo Centro Nacional de Cultura de Portugal.
Meu segundo livro foi o romance "Venha Me Ver Enquanto Estou Viva”, contemplado pelo Proac-SP em 2017 e lançado pela Editora do Sesi-SP em dezembro de 2018.
Como jornalista, trabalhei na "Folha de S.Paulo" de 1996 a 2000 e no UOL de 2000 a 2019.

Quer falar comigo, mas não pelos comentários do post? OK! Meu e-mail é pedrocirne@gmail.com

LinkedIn: https://br.linkedin.com/in/pedro-cirne-563a98169