Em abril do ano passado, publiquei aqui no Hábito de Quadrinhos uma lista com aqueles que, na minha opinião, são os 15 maiores quadrinistas em atividades no mundo. Um deles é o espanhol Miguelanxo Prado, autor de, entre outros, “Mundo Cão” e “De Profundis”.

Até a publicação do texto explicando minha admiração por Prado, apenas quatro livros dele haviam sido lançados no Brasil. Felizmente, mais dois serão publicados neste ano que começa.

Um deles já está em pré-venda, pela editora Pipoca & Nanquim: “Traço de Giz“, sua obra mais premiada – melhor álbum estrangeiro no Festival de Angoulême e melhor álbum no Salão de Quadrinhos de Barcelona. A história começa de maneiras simples: um homem navegava quando seu barco é atingido por uma tempestade, o que o deixa à deriva. Ele consegue chegar a uma ilha que não aparece em mapas, habitada por apenas duas pessoas.  

Se começa de maneira simples, Prado tem oportunidade para mostrar o ótimo narrador que é, aliando suas habilidades como escritor ao seu talento como artista.

O outro lançamento é “Tangências”, pela editora Conrad, uma coletânea de oito histórias curtas que têm um ponto em comum: os relacionamentos.

Ponto positivo para a Pipoca & Nanquim e Conrad pelos lançamentos :-).

ps – este texto faz parte de uma série de cinco posts sobre lançamentos de quadrinhos em 2021. Para cada dia da semana, escolhi destacar uma obra de um gênero diferente: super-herói na segunda, banda desenhada europeia na terça, comix americano na quarta, mangá na quinta e HQ brasileira na sexta.

Please follow and like us:

Escrito por

Pedro Cirne

Meu nome é Pedro, nasci em 1977 em São Paulo e sou escritor e jornalista - trabalho na Argus Media e escrevo sobre quadrinhos na TV Cultura.
Lancei dois livros: o primeiro foi "Púrpura" (Editora do Sesi-SP, 2016), graphic novel que eu escrevi e que contou com ilustrações 18 artistas dos oito países lusófonos: Angola, Brasil, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Moçambique, Portugal, São Tomé e Príncipe e Timor Leste. Este álbum contemplado pelo Bolsa Criar Lusofonia, concedido a cada dois anos pelo Centro Nacional de Cultura de Portugal.
Meu segundo livro foi o romance "Venha Me Ver Enquanto Estou Viva”, contemplado pelo Proac-SP em 2017 e lançado pela Editora do Sesi-SP em dezembro de 2018.
Como jornalista, trabalhei na "Folha de S.Paulo" de 1996 a 2000 e no UOL de 2000 a 2019.

Quer falar comigo, mas não pelos comentários do post? OK! Meu e-mail é pedrocirne@gmail.com

LinkedIn: https://br.linkedin.com/in/pedro-cirne-563a98169