Estamos na Semana da Consciência Negra, então acho que vale a pena insistir um pouco mais em quadrinhos que nos façam refletir sobre o tema. Assim, dedico tanto o Sábado Sessão Saudade de hoje quanto o Duas Dicas Dominicais de amanhã a essa temática. Boa leitura!

Angola Janga”, de Macelo D’Salete

Talvez um dos mais significativos quadrinhos nacionais da segunda década deste século – e um dos campeões de indicações neste site. D’Salete nos apresenta, em mais de 400 páginas, a história do Quilombo de Palmares. Uma pesquisa de fôlego embasa esta bela obra.

Jeremias – Pele”, de Rafael Calça e Jefferson Costa

O Jeremias sempre esteve lá, um entre dezenas de personagens da Turma da Mônica. Mas nunca havia sido alçado a protagonista. Quando aconteceu, vemos que o personagem tem muito a nos dizer. Calça e Costa criaram uma graphic novel bonita e sensível sobre o racismo.

Rê Tinta – Crítica social em quadrinhos”, de Estevão Ribeiro

Adoro o trabalho do Estevão – cinco anos atrás, dei para minha sobrinha um boneco inspirado em sua divertida HQ “Os Passarinhos”. Em “Rê Tinta”, ele aproveita a protagonista Renata “Rê” Tinta para, além de divertir, passar lições sobre cultura africana, preconceito e um tipo de racismo terrivelmente presente no cotidiano brasileiro: aquele que a pessoa pratica sem perceber.

Please follow and like us:

Escrito por

Pedro Cirne

Meu nome é Pedro, nasci em 1977 em São Paulo e sou escritor e jornalista - trabalho na Argus Media e escrevo sobre quadrinhos na TV Cultura.
Lancei dois livros: o primeiro foi "Púrpura" (Editora do Sesi-SP, 2016), graphic novel que eu escrevi e que contou com ilustrações 18 artistas dos oito países lusófonos: Angola, Brasil, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Moçambique, Portugal, São Tomé e Príncipe e Timor Leste. Este álbum contemplado pelo Bolsa Criar Lusofonia, concedido a cada dois anos pelo Centro Nacional de Cultura de Portugal.
Meu segundo livro foi o romance "Venha Me Ver Enquanto Estou Viva”, contemplado pelo Proac-SP em 2017 e lançado pela Editora do Sesi-SP em dezembro de 2018.
Como jornalista, trabalhei na "Folha de S.Paulo" de 1996 a 2000 e no UOL de 2000 a 2019.

Quer falar comigo, mas não pelos comentários do post? OK! Meu e-mail é pedrocirne@gmail.com

LinkedIn: https://br.linkedin.com/in/pedro-cirne-563a98169