Ontem foi Dia das Crianças e um feriado ótimo para desfrutarmos um pouco da preguiça (como aponta a louça suja acumulada na minha pia). Aproveitei a data para, na minha coluna na TV Cultura, apresentar uma lista de ótimos quadrinhos infantis – um verdadeiro menu de presentes para crianças que gostem de ler.

E de que adianta uma lista como essa um dia após a data? Nada, se você acha que livros (e quadrinhos) só podem ser presenteados em datas específicas. Mas pode ser bacana se você quer estimular uma criança a começar a ler – ou a continuar lendo, caso ela já goste. Meus pais (Dona Rita e Tonhão) sempre fizeram isso comigo e com meu irmão e sou muito grato a eles.

Você pode ler esta coluna aqui, mas como este é um texto de apresentação para ela, já indico os títulos que cito. São tantas obras – e tão diferentes – que dá para as separar em cinco categorias:

Bandas desenhadas (ou quadrinhos europeus)“Asterix”, “Disney – A Espada do Gelo”, “Mumin”, “Lucky Luke”, “Tintim” e “Um Outro País para Azzi”

Mangás “A Princesa e o Cavaleiro”, “One Piece” e “Rosa de Versalhes”

Super-heróis“Marvels”, Mulher-Maravilha e Superman

Comix (quadrinhos americanos fora do universo dos super-heróis) – “Calvin e Haroldo”, “Garfield” e “Snoopy

Historietas (quadrinhos argentinos) – “Mafalda

Brasileiros – Só os “Os Passarinhos”, mas há uma lista com mais de dez outras sugestões clicando aqui.

A lista acima (e que eu aprofundo na coluna da TV Cultura) não é, claro, definitiva. Afinal, nós temos a imaginação do Calvin, a curiosidade da Mafalda e a inteligência da princesa Safiri: queremos as aventuras da Mulher-Maravilha, a doçura da família Mumin, o humor de Os Passarinhos… Queremos tudo!

Para nós, uma lista como essa é apenas o começo 🙂

Please follow and like us:

Escrito por

Pedro Cirne

Meu nome é Pedro, nasci em 1977 em São Paulo e sou escritor e jornalista - trabalho na Argus Media e escrevo sobre quadrinhos na TV Cultura.
Lancei dois livros: o primeiro foi "Púrpura" (Editora do Sesi-SP, 2016), graphic novel que eu escrevi e que contou com ilustrações 18 artistas dos oito países lusófonos: Angola, Brasil, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Moçambique, Portugal, São Tomé e Príncipe e Timor Leste. Este álbum contemplado pelo Bolsa Criar Lusofonia, concedido a cada dois anos pelo Centro Nacional de Cultura de Portugal.
Meu segundo livro foi o romance "Venha Me Ver Enquanto Estou Viva”, contemplado pelo Proac-SP em 2017 e lançado pela Editora do Sesi-SP em dezembro de 2018.
Como jornalista, trabalhei na "Folha de S.Paulo" de 1996 a 2000 e no UOL de 2000 a 2019.

Quer falar comigo, mas não pelos comentários do post? OK! Meu e-mail é pedrocirne@gmail.com

LinkedIn: https://br.linkedin.com/in/pedro-cirne-563a98169