De quando em quando, recebo dicas bem bacanas de projetos de artistas brasileiros no Catarse. Como minha memória é muito ruim, vou enviando e-mails para mim mesmo com a palavra “Catarse” na linha de assunto. Aí, em um dia calmo, me dou o direito de desfrutar de bons momentos navegando pelo Catarse e me divertindo com os projetos que vou apoiar.

E recentemente tive um desses bons dias. Então, aproveitei e selecionei alguns projetos para indicar por aqui. As descrições são dos autores, não minhas. Divirta-se :-).

Mulheres Caídas“, de Aline Daka

Mulheres Caídas é um manifesto noturno e anárquico sobre as mulheres rebeldes na arte. No formato de uma HQ experimental não linear, a publicação dá visibilidade ao tema da ruptura, da desobediência e da liberação feminina, fazendo das ondas do feminismo um vórtice oceânico como propulsão criadora. A obra pretende ser um dispositivo visual de pensamento a nos provocar as sensações de desvio através da figura poética da mulher.

O Último dos Tropeiros“, de Josias Silveira

Este livro tem por objetivo a valorização da vida humana, de pessoas comuns que viveram grandes aventuras e que através do tempo foram esquecidas e da grande maioria ainda são desconhecidas, mas que fazem parte da história do povo brasileiro.

O Último dos Tropeiros apresenta curiosidades, poesia, prosa, datas históricas e textos informativos. Reúne diversas expressões culturais, vocábulos típicos da época e região. Uma obra que retrata as experiências de vida de uma figura (o tropeiro) que ajudou a construir a história da nossa gente.”

Primeiras Histórias“, de Carol Rossetti

Vento Norte: primeiras histórias reúne três histórias com personagens distintos em momentos diferentes, mas todas estão interligadas, de alguma forma. Elas já foram publicadas no meu instagram e agora ganham uma nova experiência de leitura através do livro impresso. Se estivéssemos em um restaurante, poderíamos dizer que é uma entrada pra abrir o apetite antes do prato principal!”

A Ira dos Ventos“, de Talessak

O projeto Ira dos Ventos é um projeto de História em quadrinhos. Como em outros trabalhos que realizei, “Coleção Minski” (2016 – 2020), “Cinco vermelhos” (2018), “Sobre Trilhos” (2019), “Caminhos da Bruma” (Editora Noir, 2019), “Deimos e Phobos” (2020), entre outros, trata-se de um projeto gráfico associado à mídia interativa e às tecnologias de comunicação. A proposta transmidiática é realizada com a interação entre o livro físico (HQ) e a multimídia (animação) por meio de QRcodes (códigos de barra) inseridos nas páginas da HQ. O código de barra é a ponte que liga essas linguagens distintas. Através dele o leitor tem acesso gratuito a curtas animados, trilha sonora original e outros conteúdos complementares a história.

Please follow and like us:

Escrito por

Pedro Cirne

Meu nome é Pedro, nasci em 1977 em São Paulo e sou escritor e jornalista - trabalho na Argus Media e escrevo sobre quadrinhos na TV Cultura.
Lancei dois livros: o primeiro foi "Púrpura" (Editora do Sesi-SP, 2016), graphic novel que eu escrevi e que contou com ilustrações 18 artistas dos oito países lusófonos: Angola, Brasil, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Moçambique, Portugal, São Tomé e Príncipe e Timor Leste. Este álbum contemplado pelo Bolsa Criar Lusofonia, concedido a cada dois anos pelo Centro Nacional de Cultura de Portugal.
Meu segundo livro foi o romance "Venha Me Ver Enquanto Estou Viva”, contemplado pelo Proac-SP em 2017 e lançado pela Editora do Sesi-SP em dezembro de 2018.
Como jornalista, trabalhei na "Folha de S.Paulo" de 1996 a 2000 e no UOL de 2000 a 2019.

Quer falar comigo, mas não pelos comentários do post? OK! Meu e-mail é pedrocirne@gmail.com

LinkedIn: https://br.linkedin.com/in/pedro-cirne-563a98169