Estamos em dezembro. Em tese, a criançada e os teens estão em férias. Na prática… estamos em 2020. Entre o café da manhã e o almoço, zumbis alienígenas de outra dimensão podem ter invadido a Terra e acabado com todos os nossos planos.

Mesmo assim, quis aproveitar o Sugestões de Sábado de hoje e o Duas Dicas Dominicais de amanhã para dar aquela piscadela para os mais jovens.

Não custa nada reforçar: o público-alvo é mais jovem, mas adultos também podem se divertir com estas HQs!

Dororo”, de Osamu Tezuka

Maior mangaká de todos os tempos (falo aqui sobre ele), Tezuka passou a maior parte de sua carreira criando histórias para o público infantil, dosando altas doses de aventura e humor. Em “Dororo”, há um elemento a mais: terror. Um homem faz um pacto com 48 demônios ao mesmo tempo. E cabe a seu filho lidar com as consequências disso.

Mutts – Cães, Gatos e Outros Bichos”, de Patrick McDonnell

Patrick McDonnell acertou a mão ao criar a dupla formada pelo cão Duque e o gato Chuchu. Eles estrelam, desde 1994, a tira “Mutts” (no Brasil, “Vira-Latas”). São histórias não só engraçadas, mas sensíveis e otimistas.

“Eu tento manter meus animais como animais. Isso estimula as ligações especiais que temos com os nossos bichos de estimação”, ele me explicou em uma entrevista feita há mais de dez anos. “Em uma mídia de muita ironia, tento manter meu ‘Mutts’ uma HQ positiva e espalhar um pouco de luz.”

A Espada do Gelo”, de Massimo de Vita

O italiano Massimo de Vita aproveitou o vasto Universo Disneey para criar uma história de aventura e, sobretudo, amizade entre Mickey e Pateta e… habitantes de outra dimensão. Como eles quase nunca podem se ver (viagens interdimensionais!), isso só aumenta o gosto doce que essas histórias deixam na boca. Essas aventuras foram publicadas em edições separadas das revistas Disney no Brasil, mas reunidas no livro “Disney – A Espada de Gelo”, lançado pela Abril em 2016.

Please follow and like us:

Escrito por

Pedro Cirne

Meu nome é Pedro, nasci em 1977 em São Paulo e sou escritor e jornalista - trabalho na Argus Media e escrevo sobre quadrinhos na TV Cultura.
Lancei dois livros: o primeiro foi "Púrpura" (Editora do Sesi-SP, 2016), graphic novel que eu escrevi e que contou com ilustrações 18 artistas dos oito países lusófonos: Angola, Brasil, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Moçambique, Portugal, São Tomé e Príncipe e Timor Leste. Este álbum contemplado pelo Bolsa Criar Lusofonia, concedido a cada dois anos pelo Centro Nacional de Cultura de Portugal.
Meu segundo livro foi o romance "Venha Me Ver Enquanto Estou Viva”, contemplado pelo Proac-SP em 2017 e lançado pela Editora do Sesi-SP em dezembro de 2018.
Como jornalista, trabalhei na "Folha de S.Paulo" de 1996 a 2000 e no UOL de 2000 a 2019.

Quer falar comigo, mas não pelos comentários do post? OK! Meu e-mail é pedrocirne@gmail.com

LinkedIn: https://br.linkedin.com/in/pedro-cirne-563a98169