O Capitão América completa 80 anos este mês. OK, você já sabe que ele é um icônico super-herói da Marvel e que estrelou filmes bem bacanas no cinema. Aí, te pergunto: você conhece a identidade secreta do Capitão América? Todas elas?

A cronologia da Marvel Comics, assim como a da sua rival DC, é uma grande bagunça. Há uma explicação para o fato de o Capitão América ter lutado na Segunda Guerra Mundial e continuar bonitão e ativo tantas décadas depois: o Soro do Supersoldado que ele tomou retarda seu envelhecimento. Maaaaas… Nem sempre foi ele por debaixo da máscara azul com asinhas brancas. Muitos outros ocuparam este posto. Aqui vão eles:

Steven Rogers
Primeirão de todos! Até hoje, o principal nome associado ao personagem. É ele quem Chris Evans encarnou nos cinemas. Seus criadores são Joe Simon e Jack Kirby.

Nômade (Steven Rogers)
Capitão (Steven Rogers)

Em suas oito décadas atuando nos quadrinhos, assumiu dois outros codinomes: Nômade (por um curto período nos anos 70) e Capitão (nos anos 80).

William Naslund
Na cronologia da Marvel, o Capitão América passou duas décadas congelado. O governo americano decidiu, entretanto, que seu símbolo era valioso demais para ser deixado de lado. Assim, escalou William Naslund para ser o sucessor de Steven Rogers.
William Naslund foi criado como o super-herói Spirit of ’76, conhecido no Brasil como o Independente. Os artistas por trás dele são Roy Thomas e Frank Robbins.

Mace (o terceiro Capitão) com o corpo de Naslund (o segundo)

Jeffrey Solomon Mace
Quando William Naslund morreu, o legado do Capitão América passou para Jeffrey Solomon Mace, conhecido até então como o super-herói Patriota.
Ele é quase tão velho quanto o Capitão América: criado por Ray Gill e Bill Everett, estreou em abril de 1941, um mês após Steven Rogers.
Mace já ganhou versão de carne no Universo Cinematográfico Marvel, vivido por Jason O’Mara no seriado Agents of Shield.

William Burnside/ Steven Rogers
Na minha opinião, o mais maluco dos sucessores a usar o uniforme. Era tão fanático pelo Capitão original que fez cirurgias para ficar parecido com ele (!) e mudou seu nome para Steven Rogers (!!).
Ele deixou o posto de Capitão América pouco antes de o original ser descongelado pelos Vingadores e voltar à ativa.
Depois, enlouqueceu (ah, vá) e virou o vilão o Grande Diretor, um vilão nazista – como podemos ver na imagem acima.
Burnside foi criado por Steve Englehart e Sal Buscema em 1972.

Jack Daniels/ Johnnie Walker (Jonathan F. Walker)
Este personagem surgiu como o cretino supervilão Superpatriota em uma série de histórias criadas por Mark Gruenwald, Tom Morgan e Paul Neary entre 1986 e 87.
Era isso o que ele era. Um vilão bobo. Aí Steven Rogers abandonou o posto de Capitão América, e o governo norte-americano escolheu esse xarope para se tornar o quinto herói a envergar o nome.
Aliás, ele teve duas identidades secretas nos quadrinhos: Jack Daniels e Johnnie Walker, o que me faz pensar que os editores da Marvel gostam um pouco de uísque…
Quando Rogers voltou a ser o Capitão América, Johnnie Walker assumiu o codinome US Agent, traduzido aqui no Brasil como Agente Americano.
Johnnie Walker vai aparecer na série “Falcão e o Soldado Invernal”, onde será interpretado por Wyatt Russell, filho de Kurt Russell e Goldie Hawn.

James Buchanan Barnes
Criado na mesma história em que o Capitão América – ou seja, também completa 80 anos agora em março e também foi criado por Simon & Kirby -, Barnes era o super-herói conhecido como Bucky. Ele teria morrido no final da Segunda Guerra Mundial e seria um dos raros personagens do mundo dos super-heróis que não ressuscitaria.
Maaaas…
No início do ano 2005, uma saga trouxe Bucky de volta, agora com o codinome de Soldado Invernal. Ao final desta série, Steven Rogers morreu e Barnes virou o Capitão América – o primeiro a ostentar uma pistola no seu dia-a-dia.
Barnes é um dos protagonistas da série “Falcão e o Soldado Invernal”, e será vivido mais uma vez por Sebastian Stan, que interpretou o personagem nos filmes do Universo Cinematográfico Marvel.
(Não se preocupe, o Steven Rogers ressuscitou.)

Samuel Thomas Wilson
Baita personagem legal. Surgiu em 1969, criado por Stan Lee e Gene Colan, como o super-herói conhecido como Falcão. Nunca recebeu tanto destaque quanto merecia, mas em 2014 assumiu o posto do Capitão América nos quadrinhos.
Sam aparece no Universo Cinematográfico Marvel vivido pelo carismático Anthony Mackie. No final de “Vingadores – Ultimato”, ele recebe o emblemático estudo do Capitão América, dando a entender que vai assumir o legado.
Essa história será contada a partir de 19 de março na mini “Falcão e o Soldado Invernal”. Repare que o nome “Capitão América” não aparece no título: quando a série começa, Sam ainda é o Falcão. Além dele, dois outros Capitães dos quadrinhos vão aparecer: Barnes e Johhny Walker. Provavelmente, um deles assumirá o legado no último episódio. Torço para que seja Sam Wilson.

Please follow and like us:

Escrito por

Pedro Cirne

Meu nome é Pedro, nasci em 1977 em São Paulo e sou escritor e jornalista - trabalho na Argus Media e escrevo sobre quadrinhos na TV Cultura.
Lancei dois livros: o primeiro foi "Púrpura" (Editora do Sesi-SP, 2016), graphic novel que eu escrevi e que contou com ilustrações 18 artistas dos oito países lusófonos: Angola, Brasil, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Moçambique, Portugal, São Tomé e Príncipe e Timor Leste. Este álbum contemplado pelo Bolsa Criar Lusofonia, concedido a cada dois anos pelo Centro Nacional de Cultura de Portugal.
Meu segundo livro foi o romance "Venha Me Ver Enquanto Estou Viva”, contemplado pelo Proac-SP em 2017 e lançado pela Editora do Sesi-SP em dezembro de 2018.
Como jornalista, trabalhei na "Folha de S.Paulo" de 1996 a 2000 e no UOL de 2000 a 2019.

Quer falar comigo, mas não pelos comentários do post? OK! Meu e-mail é pedrocirne@gmail.com

LinkedIn: https://br.linkedin.com/in/pedro-cirne-563a98169